Oferta de telefone para baixa renda entra em vigor nesta sexta



Oferta de telefone para baixa renda entra em vigor nesta sexta
Assinatura custará até R$ 14,80, com direito a 90 minutos de ligação

As famílias com renda total de um salário mínimo e inscritas no cadastro único de beneficiários de programas sociais do Governo Federal ( entre eles o Bolsa Família) podem solicitar, a partir desta sexta-feira (08/06), o novo modelo de plano de telefonia fixa, com assinatura mensal entre R$ 12,62 e 14,80 (valor incluindo tributos).

Chamado de acesso individual Classe Especial (AICE) o plano dará direito aos usuários a 90 minutos de ligação, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Terão direito ao esse modelo de serviço as cerca de 22 milhões de famílias inscritas no cadastro único de beneficiários de programas sociais.

O cronograma, no entanto, prevê que a oferta para famílias com renda entre um e dos salários mínimos tenha inicio apenas em Oito de junho de 2013, e para as demais famílias incluídas no cadastro único, a partir de oito de junho de 2014.
O escalonamento foi adotado por conta das perdas estimadas para as concessionárias de telefonia fixa devido à mudança no plano, e que devem ficar, segundo a Anatel, entre R$ 800 milhões e R$ 1,4 bilhão.

Novo AICE

O AICE existe desde 2005, mas, como o novo regulamento, ele passa a ser oferecido com novas regras. A principal mudança é a definição do perfil das famílias que têm direito ao serviço. Antes, qualquer pessoa poderia fazer assinatura. Agora, apenas aquelas que estão no cadastro único de programas sociais do governo.

Outra mudança é no preço do serviço, que ficou mais barato. O atual modelo funciona no sistema pré-pago e cobra a taxa mensal de assinatura R$ 17,62 dos usuários, que para fazer ligações ainda precisam comprar créditos. Agora, os interessados em ter o AICE contarão com um modelo pós-pago.

Adesão
De acordo com a Anatel, para aderir o serviço o consumidor deve ter suas informações atualizadas no cadastro Único há pelo menos dois anos, especialmente renda familiar e endereço da família.

Para solicitar um telefone popular, o responsável familiar deve entrar em contato com a concessionaria de sua região tendo em mãos seu CPF e Número de Identificação Social (NIS).
Caso não tenha informado seu CPF no Cadastro Único, devera também informar seu Titulo de Eleitor ou Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) para o atendimento da concessionária.
Categoria: , ,

0 comentários

Deixe seu comentário