Polícia do DF apura morte de bebê que teve reação adversa a injeção


Polícia do DF apura morte de bebê

A polícia Civil do Distrito Federal ouviu na tarde desta terça-feira (18/09) a mãe de um bebe de dois anos e 10 meses que morreu no último sábado (15) no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) após ter tido uma reação adversa a uma vacina com dipirona no hospital particular São  Francisco, em Ceilândia, no dia 11.

De acordo com o São Francisco o bebe foi atendido no último dia 10 com quadro de pneumonia e foi transferido para o Hospital Materno Infantil após ter reações adversas à aplicação de dipirona no dia seguinte. A criança teve convulsão e parada cardiorrespiratória. O hospital disse que a mãe do bebe, depois de ser questionada, negou que a criança fosse alérgica ao medicamento.

A Secretária de Saúde afirmou que o bebê recebeu ‘’toda a atenção e cuidados médicos pertinentes ao caso’’ na Unidade de Terapia Intensiva do HMIB. De acordo com a pasta, toda assistência foi aplicada ‘’a tempo e a hora’’.
‘’Reação imediata’’


 A 23ª Delegacia de Polícia de Ceilândia instaurou inquérito nesta segunda-feira (18) para investigar o caso. A polícia aguarda conclusão de laudo do Instituto Médico Legal apontando a causa da morte da criança. A mãe do bebe falou, durante depoimento, que a criança estava com febre alta no momento da aplicação da injeção.

‘’A mãe disse que, o momento da injeção, acabou a luz do hospital e usaram luz do celular para iluminar. Segundo a mãe, o bebe começou a passar mal após a aplicação do medicamento. Ela disse que a reação foi imediata’’, informou o delegado adjunto da 23ª DP, Rafael Bernardino.

A polícia já encaminhou ofício que testemunhas do Hospital São Francisco sejam ouvidas. A
23ª DP também solicitará o depoimento de servidores do HMIB.


Categoria: , ,

0 comentários

Deixe seu comentário